top of page
Buscar
  • Foto do escritorPaulo Lazarini

Otosclerose – Por que estou perdendo minha audição?

Atualizado: 15 de jun. de 2021


O que é otoslerose?


A otosclerose é uma doença de causa genética que pode ser transmitida na família. Ela compromete apenas o osso temporal, onde se encontra as estruturas do ouvido.


Como esta doença afeta minha audição?


A doença causa um distúrbio na absorção e produção de tecido ósseo e, como isto, há troca do tecido ósseo por outro mais denso e fibroso. Dependendo do local onde há esta alteração, a mobilidade do estribo (um dos ossículos do ouvido) fica comprometida. Diante disto, ocorre uma redução na transmissão do som que chega na porção mais interna do ouvido, a cóclea. Há casos, onde a doença afeta o osso que envolve a cóclea e aí pode ocorrer perda auditiva mais critica e até mesmo a surdez.


Quais as características da doença?


Como este processo no osso se instala lentamente, a doença se manifesta em adultos na faixa etária de 40-50 anos mais frequentemente, mas pode ocorrer em mais jovens. Costuma ser bilateral, mas em algumas circunstâncias, afeta inicialmente um único ouvido.


Quais os sintomas?


O principal sintoma é a perda auditiva lentamente progressiva que pode ocorrer em um ou em ambos ouvidos mais comumente. O paciente sente que a audição está abafada e necessita que as pessoas se comuniquem com o aumento da intensidade da fala. Tem dificuldade para ouvir enquanto mastiga um alimento muitas vezes. Geralmente a perda auditiva é acompanhada de zumbidos. Comumente o paciente refere quadro semelhante em alguns familiares pois a doença tem transmissão genética.


Como devo tratar esta doença?


O tratamento varia em função do grau e tipo de perda auditiva e também pelo envolvimento de cada um dos ouvidos. Assim, o acompanhamento clínico pelo Otorrinolaringologista é fundamental pois temos diversas opções de tratamento: cirurgia (estapedotomia) para remoção do estribo e sua substituição por uma pequena prótese; tratamento com medicamentos para controle do foco da doença; uso de aparelho auditivo e; até mesmo, apenas observação nos casos mais leves.


Dr. Paulo Lazarini – CRM-SP 48.374

689 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


Post: Blog2_Post
bottom of page